Periódicos

Imprimir
Bíblia nº27
AA.VV.
Editor: Tiago Gomes.
Colaborações de Saul Zanolari, Luís Chaves, Ana Biscaia, Paulo Pimenta, António Orihuela, Cláudio Parentela, Anónimo, Teresa Câmara Pestana, Tiago Baptista, David Gonzales, Júlio Dolbeth, LinesLab, Prisca Martaguet, António Gómez, Simone de Mello, Nuno Valério, Sérgio Monteiro de Almeida, Joana Latka, Rámon Cruces, Hugo Torres, Luís Lamelas e Filipe Von Geier, José Blanco, Paulo Bernardino Ribeiro, Luís Demano, André Beja.

Design e capa de Andreia Silvano.
Bíblia
Tiago Gomes
26X20cm
50 páginas
sem informação (entre 1000 e 2500 exemplares)
2007
(Outubro)
Lisboa
não tem
Offset. Capa e miolo impresso a preto. Páginas agrafadas.
A Bíblia é uma revista aperiódica que se caracteriza pela diversidade de conteúdos e abordagens heterogéneas, assim como pela escolha abrangente de colaboradores, das mais diversas áreas como literatura, design, artes visuais, música, etc.
Este número não tem editorial.

Projectos gráficos e imagens Saul Zanolari “Audrey Hepburn” e “Sophia Loren”; Luís Chaves “Workshop de apanha da azeitona (em ambiente rural)”; Ana Biscaia “Circotien”; Paulo Pimenta “Outono numa noite de Inverno”; António Orihuela; Cláudio Parentela; Tiago Baptista “Vivam todos aqueles que ajudaram e ajudam (...)”, “Pseudo Mundo, rock das trevas do amor”, “God knows” e “Não há”; Júlio Dolbeth; LinesLab; Prisca Martaguet “Y Femme”, “Container jour”, “Mouchoirs” e “Totale”; António Gómez; Nuno Valério “Wall of fame, Basura end”; Sérgio Monteiro de Almeida “Chopard” e “Mikimoto”; Joana Latka; Rámon Cruces “Mapa do tesouro”; Luís Lamelas e Filipe Von Geier “Cidade Luz”; José Blanco “Administracion de justicia”; André Beja.

Bandas-desenhadas de Teresa Câmara Pestana “Ah! A clandestinidade seria hoje outra verdade (...)” e “Dias”; Luís Demano “El infierno no es para mi”.

Textos e poemas de Anónimo “Pretérita, perfeita”; David Gonzales “La rutina de las motosierras” e “El rompeolas”; Simone de Mello “A alcance de um grito”; Anónimo; Hugo Torres “De assalto, killer ants”; Paulo Bernardino Ribeiro “Tenho levado a vida num triângulo equilátero”.
Este número encontra-se disponível para consulta na Biblioteca Calouste Gulbenkian, Lisboa.
id
date time
2014-11-04 12:09:04